Mercado da Comunicação: diferentes realidades encontradas

A Comunicação Organizacional, como se encontra hoje configurada, surgiu no período da Revolução Industrial que proporcionou mudanças radicais nas relações de trabalho, nos modos de produção e nos processos de comercialização. Nesse contexto, é que nascem as bases das Relações Públicas.

Pixabay

Com o fenômeno da globalização, a revolução da tecnologia da informação, a concorrência acirrada e os processos de reengenharia as organizações estão passando por diversas transformações. Os públicos (stakeholders), por sua vez, estão mais exigentes e cobram das organizações ações baseadas na responsabilidade social, atitudes transparentes e comportamentos éticos.

Em relação às características e práticas vigentes da área de Comunicação Organizacional e Relações Públicas, existem pelo menos quatro realidades distintas segundo a professora Margarida Kunsch 1:

A primeira é de organizações que valorizam a Comunicação realizando grandes investimentos, contando com profissionais qualificados e, sempre que necessário, terceirizando serviços indispensáveis.

Na segunda perspectiva a Comunicação atua apenas na esfera técnica/ tática, fazendo apenas a divulgação – por meio de Assessoria de Imprensa, jornais, boletins, vídeos, folhetos, etc., mas sem uma perspectiva estratégica.

A terceira é daquelas organizações que tratam a Comunicação como acessório, sendo feita por qualquer pessoa, sem a formação profissional adequada, caracterizando-se por uma comunicação improvisada e reativa.

Já a quarta realidade é das organizações que não investem em nenhum tipo de comunicação profissional. Ela existe de forma espontânea, não recebe nenhum tratamento. Geralmente existe apenas uma dimensão comunicação administrativa.

As Relações Públicas, como disciplina acadêmica e como atividade profissional, têm como objetos de estudo as organizações e seus públicos (stakeholders). Todo esse processo mediador só é possível acontecer com e por meio da comunicação. E, nesse contexto, a comunicação organizacional, como campo acadêmico de estudos, dará subsídios teóricos para fundamentar a prática da atividade na administração dos relacionamentos entre organizações e públicos.

1 KUNSCH, M.M.K. Planejamento Relações Públicas na Comunicação Integrada. São Paulo: Summus, 2003.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s