Cultura Organizacional e RP: alguns desafios a serem enfrentados

A atuação do profissional de relações públicas na dimensão cultural das organizações precisa ser desenvolvida de forma estratégica. É preciso superar a postura tão somente técnica, que ainda caracteriza o ambiente organizacional. Produzir veículos de comunicação, atualizar mídias sociais, elaborar informativos, organizar eventos e tantas outras atividades técnicas são importantes, contudo, se não estiverem acompanhadas de uma visão global e estratégica não terão os efeitos desejados.

O profissional de RP deve ter conhecimentos sobre as interfaces, implicações organizacionais da Cultura a fim de poder desenvolver um processo comunicacional eficaz (Veja as indicações de leitura). As ações de Relações Públicas podem ser prejudicadas se não forem levadas em conta aspectos sobre a Cultura Organizacional. É importante destacar a existência de culturas dentro das organizações, pois grupos de diferentes setores tem compreensões distintas, modos de pensar diferenciados, gerando significações múltiplas.

O processo de reconhecimento da cultura deve iniciar com a identificação e mapeamento dos públicos internos, bem como o estudo de seus comportamentos. Nesse momento é fundamental reconhecer aspectos culturais e o estudo do comportamento deve contar com métodos (pesquisa de clima) e técnicas de pesquisa (entrevista, questionários, análise de documentos e outros).

Deve-se salientar que a observação é um dos elementos fundamentais nesse processo. O RP deve ter a sensibilidade de reconhecer as propensões culturais dos diferentes grupos. Claro que não é algo imediato, mas é processual e dependente do contexto e da maturidade profissional. Em seguida, torna-se imprescindível no planejamento definir os objetivos, metas e estratégias que levem em conta a Cultura Organizacional.

Assim como traçar veículos de comunicação que tenham como norte uma Comunicação genuinamente dialógica. A seleção da linguagem das mensagens e até os meios de comunicação dirigida devem ter como base a cultura a fim de poder propor uma comunicação mais efetiva.Outrossim, é preciso que o profissional de RP compreenda seu papel social no desenvolvimento das atividades, sendo também um agente de mudanças sociais, fortalecendo o desenvolvimento da comunicação que realmente induzam a mudança política, econômica e social dos públicos que se relacionam com as organizações.

Tendo em vista esse contexto, é necessário que as Relações Públicas busquem valorizar o diálogo para ajudar a formação de uma cultura organizacional favorável e que possa vir a transparecer para os públicos externos, formando uma imagem positiva.  É importante destacar que as Relações Públicas não criam a cultura de nenhuma organização, mas podem contribuir no co-gerenciamento de significados e influenciar as mudanças nas culturas por meio do processo de Relações Públicas executado de forma estratégica e sistêmica.

A busca pela harmonização de interesses entre a Organização e seus públicos internos deve iniciar com o mapeamento das culturas existentes e um estudo criterioso do clima organizacional. O RP deve buscar não somente mudanças e adaptações culturais, mas também propor alterações nas políticas organizacionais, assessorando os gestores para que sejam feitos realinhamentos das políticas e mudanças de ordem organizacional.

Indicações de Leituras

ARAUJO, V. S. Comunicação e Cultura: faces e interfaces dos relacionamentos nas organizações. Revista Organicom, v. 11, n. 20, p. 216-219, jan./jun. 2014.

BASTOS, A. R. S.; MARCHIORI, M. Diálogo e Cultura Organizacional, uma análise sobre como os processos dialógicos contribuem para a construção da “personalidade” da organização contemporânea. In: Congresso de Comunicação na Região Sudeste, 34., 2011, Recife. Anais… São Paulo: INTERCOM, 2011.

CURVELLO, João José Azevedo. Comunicação interna e cultura organizacional2. ed. rev. e atual. – Brasília : Casa das Musas, 2012.

GALLELI, G. M. F.; MARCHIORI, M. Comunicação e Produtividade: uma reflexão sobre as implicações na saúde do trabalhador do século XXI. In: Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação em Administração – ENANPAD, 37., 2013, Rio de Janeiro. Anais… Rio de Janeiro: ANPAD, 2013.

MARCHIORI, M.; VILAÇA, W P. T. Cultura organizacional e comunicação nas organizações contemporâneas, temas desarticulados ou imbricados. In: Congresso Brasileiro Científico de Comunicação Organizacional e de Relações Públicas, 5., 2011, São Paulo. Anais… São Paulo: ABRAPCORP, 2011.

MARCHIORI, M. ¿Por qué hoy en día precisamos cultura organizacional? Una perspectiva de comunicación única en el área posmoderna. Revista Diálogos De La Comunicación, n. 80, p. 1-20, jul. 2009.

MARCHIORI, Marlene. Cultura e Comunicação Organizacional: um olhar estratégico sobre a organização. 2 ed. Revisada e ampliada – São Caetano do Sul: Difusão Editora, 2008a.

MARCHIORI, Marlene (Org). Faces da cultura e da comunicação organizacional. 2. ed. São Caetano do Sul, SP : Difusão Editora, 2008b.

Livros da Coleção Faces da Cultura e da Comunicação Organizacional

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s