Qual a importância da pesquisa para o Planejamento de RP?

A pesquisa em Relações Públicas é responsável por grande parte das informações necessárias às instituições e ao planejamento. A Resolução Normativa N.43 2002, do Conselho Federal dos Profissionais de Relações Públicas (Conferp), classificando atividades e funções privativas, definiu a pesquisa como uma das atividades essenciais da área. Ao nosso ver a pesquisa constitui-se como elemento indispensável para o planejamento de RP nas organizações.Além disso, permeia todo o processo de RP, desde a fase do levantamento de dados até a avaliação final.

A qualidade das pesquisas será proporcional ao conhecimento do profissional sobre pesquisa científica¹. A natureza básica de toda pesquisa é científica, por isso, faz-se necessário que o profissional de RP tenha uma base sólida sobre a metodologia da pesquisa (KUNSCH, 2003). Além de tornar a atividade mais sistematizada e científica, as pesquisas valorizam e legitimam o fazer das RPs nas organizações.

De modo geral, as pesquisas específicas de Relações Públicas têm, basicamente, os seguintes objetivos (KUNSCH, 2003):

  • realizar análise ambiental;
  • conhecer a opinião dos públicos;
  • estudar em profundidade a organização;
  • construir diagnósticos;
  • avaliar o desempenho das ações.

As Relações Públicas necessitam do uso da pesquisa para demonstrar o valor de suas atividades e ajudar as organizações a se posicionar estrategicamente perante a sociedade. O caráter científico deve estar impregnado na cultura profissional da área. A pesquisa proporciona respostas aos inúmeros questionamentos sobre os públicos, suas necessidades, anseios, expectativas,  características e opiniões.  A pesquisa está diretamente relacionada ao processo de mensuração e avaliação.

No exercício da profissão, alguns profissionais não utilizam a pesquisa para subsidiar os programas e projetos que devem ser realizados. Como resultado vemos que:

A prática de RP tende a enfocar os veículos, meios e as táticas, esquecendo-se dos públicos em si. Quando não se faz pesquisas, o planejamento torna-se fragilizado, os objetivos são pouco mensuráveis.  O problema comunicacional não é claro e isso acaba fragmentando as ações. Tenta-se resolver algo que não é o foco. Da mesma forma, a avaliação, etapa final das ações, não é feita de forma adequada.

A pesquisa ajuda a tomar as melhores decisões, podendo apontar aspectos fundamentais sobre a relação entre a organização e seus públicos. As pesquisas visam buscar informações para analisar determinadas situações, em virtude da construção de diagnósticos com vistas em planejar ações mais eficazes. Já no processo de avaliação, a pesquisa tem como propósito verificar como as ações foram executadas e quais foram os resultados obtidos, mensurando retornos e comparando se o que foi realizado é coerente com o proposto no planejamento.

Notas

1. Assim como Kunsch (2003) acredito que a aplicação eficiente e eficaz de pesquisas nas organizações requer a observação de alguns requisitos: a) conhecimentos básicos sobre pesquisa científica; b) postura científica em relação aos procedimentos; c) aproveitamento de métodos e técnicas de pesquisa. O planejamento e a execução de uma pesquisa exigem um conhecimento aprofundado de métodos e técnicas para o desenvolvimento de um estudo proveitoso.
 
2. No âmbito organizacional, as Relações Públicas trabalham com mais frequência a Pesquisa de Opinião e a Pesquisa Institucional. A pesquisa de opinião possui diversas aplicações, podendo ser utilizada com os diversos públicos de interesse de uma organização. Tem como propósito conhecer a opinião desses públicos e aspectos relacionados ao relacionamento organização-públicos. Expectativas, necessidades e desejos dos públicos também poderão ser identificados a partir desse tipo de pesquisa.  A pesquisa institucional, por sua vez, tem a intenção de conhecer a organização como um todo, envolvendo a estrutura organizacional, políticas de recursos humanos, comunicação administrativa, aspectos de infraestrutura e outros. Tem-se o propósito de construir um diagnóstico institucional capaz de subsidiar a elaboração de planos, projetos e programas de Relações Públicas. Essa pesquisa permite um estudo abrangente e uma visão conjuntural da organização.

REFERÊNCIAS 

KUNSCH, M.M.K. Planejamento Relações Públicas na Comunicação Integrada. São Paulo: Summus, 2003.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s