Atuação e o perfil do profissional que deseja atuar nas Relações Públicas Comunitárias

Conforme aborda  Kunch  (2009),  as  relações  públicas  populares  vão  além  do  trabalho para comunidade,  na  verdade  trata-se  do  trabalho na e pela comunidade. Pressupõe, assim, que o  profissional  assuma  uma  condição  interatuante,  sendo  um articulador,  incentivador,  motivador,  mais  do  que  um  simples  executante/  operador  das atividades e técnicas de Relações Públicas.

Essa visão, segundo  a  autora,  é  fundamental  para  a  elaboração  de  políticas, estratégias e técnicas de comunicação na perspectiva comunitária. O olhar de quem faz RP Popular para as comunidades é geralmente de assistencialismo que gera dependências. De outro modo, o RP  deve  estar  inserido  na  comunidade,  buscando  ser  um  articulador  e incentivador de políticas públicas favoráveis àquele meio social.

Ademais, existe a necessidade de o  profissional  vivenciar  a  comunidade,  seus problemas  e  peculiaridades.  Deve-se concentrar em ser um agente de transformação e mudança social, fazendo com que a comunicação seja elemento de transformação social, conscientização política e compartilhadora  de  experiências  legitimadoras  da  sociedade.

Abaixo apresenta-se uma  relação  de  alguns itens  que  devem  ser  desenvolvidos  pelo profissional que pretende trabalhar no eixo comunitário:

  • Ser um articulador e facilitador;
  • Não pode ser somente técnico;
  • Compartilhar conhecimentos;
  • Ser agente de transformação;
  • Ser educomunicador;
  • Ter formação crítica e reflexiva;
  • Ter formação humanizadora;
  • Ter comprometimento social;

Essas características sintetizam a necessidade do profissional de Relações Públicas ser  um  agente  de  transformação  social.  Nota-se uma  aproximação  da  área  com  os profissionais de educação e a necessidade de ter conhecimentos nessa perspectiva.  Existe, assim, a necessidade de mudanças fundamentais, pois o modo de fazer as Relações Públicas Populares exige não só conhecimento técnico, mas também formação pedagógica, social e humanizadora.

Continue lendo o artigo completo clicando neste link.

Texto extraído do artigo:

GOMES JR, Jonas da Silva. Relações Públicas Populares e atuação profissional em comunidades. Conexões: revista de relações públicas e comunicação organizacional, [S.l.], v. 1, n. 01, p. 68-80, nov. 2017. Disponível em: <http://www.periodicos.ufam.edu.br/conexoes/article/view/3811>. Acesso em: 13 abr. 2018.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s