Redação publicitária: 7 técnicas para criação de mensagens

Ao redigir um anúncio é necessário utilizar vários recursos para criar uma mensagem que desperte a atenção do consumidor. Quanto maior o repertório do redator, maior serão as chances de elaborar textos, títulos e slogans criativos, envolventes e instigantes. Vamos descrever algumas técnicas clássicas de Redação Publicitária:

1. Associe ideias e palavras

A associação de um produto/serviço a ideias e palavras pode ser altamente eficaz. Monte uma rede de significados com ideias/ palavras possíveis, relacionando todas as palavras que vem a sua mente. Relacione ideias/ palavras semelhantes e opostas também. Atenção nas relações opostas que causam estranhamento, disparidades e desequilíbrio. Exercite a capacidade de conectar pensamentos, simulando associações de ideias e palavras. “Uma vez encontrado o caminho criativo do anúncio pela associação de ideias, basta um passo para a construção do texto por meio da associação de palavras” (CARRASCOZA, 2003, p. 28).

2. Utilize figuras de linguagem

As figuras de linguagem são recursos expressivos muito utilizados no texto publicitário.  Existem três tipos de figuras de linguagem: Palavras, Pensamento e Sintaxe. As figuras podem ser empregadas para gerar diferentes efeitos nos textos publicitários. A prosopopéia, por exemplo, é uma figura que atribui características humanas a objetos, por exemplo, produtos (“É uma moto encantadora”). É possível sugerir ao consumidor utilizando exemplos comparativos (metáforas), amenizando fatos (eufemismo) ou exagerando (hipérboles). As figuras de linguagem podem tornar o discurso mais envolvente.

3. Crie um inimigo comum

Apresentar um inimigo que deve ser combatido é uma das técnicas para construção do texto. A criação de inimigos é um dos elementos argumentativos que há um adversário explícito ou oculto que a publicidade deve atacar. Os inimigos podem ser combatidos ou evitados com as soluções oferecidas em forma de produtos pelos anunciantes. Descreva em suas mensagens publicitárias as soluções proporcionadas pelo anunciante.

4. Afirme de outra forma

“Diga o mesmo, mas sem ser dizer o mesmo”. Construa títulos publicitários usando paráfrases ou paródias, pois são altamente eficientes. A paráfrase é uma nova afirmação usando outras palavras. Já a paródia é uma releitura cômica de alguma composição literária ou musical, surgindo a partir de uma nova interpretação. Um bom exemplo é a chamada da famosa campanha da Brastemp “Não é uma Brastemp” é uma paráfrase da sentença popular “Não é grande coisa”. João Carrascoza (2003, p.102) explica que “quanto mais o redator se distanciar do ponto de partida (lugar-comum), sem perder ligação com ele, isto é, quanto mais transformações (em níveis de importância) ele fizer com originalidade, em função do problema proposto em briefing, maior é a possibilidade de chegar a um título criativo (lugar-incomum)”.

5. Amplie suas referências

O redator publicitário retira do universo sociocultural sua inspiração para redigir. “Tudo que está contido no repertório linguístico da sociedade pode e deve servir como ponto de partida para a solução de seu problema: clichês, lugares-comuns, formas fixas, expressões idiomáticas, gírias, alusões bíblicas, palavras-chave, frases célebres, ditados populares, trocadilhos onomásticos, nomes de canções, de livros, de filmes clássicos ou contemporâneos” (CARRASCOZA, 2003, p.100). Busque referências e experiências em diversos meios, visto que a matéria-prima para elaboração de um texto publicitário é a própria sociedade.

6. Integre texto e imagem  

A interlocução entre texto e imagem é fundamental para um anúncio eficaz e criativo. O ideal é que a imagem complemente os textos, enriquecendo a mensagem publicitária. Essa complementação gera uma harmonia e ajuda a envolver o consumidor, pois a mensagem se torna mais interessante. A inter-relação entre imagem e texto é fundamental na peça para uma percepção maior da mensagem do anúncio: “fundos, texturas, cenário, personagens, tipografia, diagramação, mensagem explícita e implícita do texto colaboram para uma percepção maior da mensagem inerente ao anúncio” (FIGUEIREDO, 2009, p. 17)

7. Evite títulos interrogativos fáceis

Você gosta de x? Já pensou em tomar z? Quer viajar? Essas chamadas (títulos) são pouco eficientes do ponto de vista da persuasão, porque o consumidor pode mentalmente responder “NÃO”e encerrar a ideia central da mensagem. Figueiredo (2009) afirma que perguntas que podem ser respondidas com um “sim” ou “não” tem pouca chance de envolver o consumidor. Se for perguntar, use uma pergunta provocativa e que não gere respostas do tipo sim/não.

Referências

CARRASCOZA, João Anzanello. Redação Publicitária: estudos sobre a retórica do consumo. São Paulo: Futura, 2003

FIGUEIREDO, Celso. Redação Publicitária: sedução pela palavra. São Paulo: Cengage Learning, 2009.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s